InícioFundação de CulturaSistema Brasileiro de Museus E-mail MARCO

Exposições

Atuais

Permanente

Passadas

Intervenção

Processo Seletivo

Plantas das salas

Impressões Visuais: 50 anos da comissão Fulbright no Brasil

Quantas imagens seriam necessárias para contar os últimos 50 anos de história do Brasil e dos EUA? As 126 imagens desta exposição apresentam apenas algumas das inúmeras histórias visuais possíveis, mostrando fatos e pessoas que marcaram o cotidiano destes dois países.

Sua escolha resulta de uma pesquisa de quase dois anos em vários arquivos brasileiros e norte-americanos, e pretendem revelar, imageticamente, e em várias dimensões, algumas diferenças e semelhanças entre as duas nações do continente americano. As imagens se destacam por diferentes aspectos: histórico, documental e estético, e muitas delas foram premiadas com o Pulitzer e o Esso de jornalismo.

A mostra está dividida em 06 capítulos:  “Herança", que contém imagens representativas das culturas africanas, européia e indígena; "Política", com fatos e personalidades influentes no meio político; "Cultura", através do qual é possível se ver manifestações populares e algumas das personalidades do mundo artístico; "Cidadania", que busca expressar as lutas e conquistas da população quanto aos direitos do cidadão; "Esportes", no qual está a emoção, a força e a paixão dos esportes populares; e, por último, "Meio ambiente", que apresenta visões dos parques nacionais e conduz a reflexões sobre o que temos feito com o nosso habitat. 

Muitas destas fotografias resistiram ao tempo e continuam inspirando e evocando lembranças, após anos da publicação em jornais e revistas, mesmo nesta sociedade, cada vez mais vertiginosa e marcada pela aceleração da vida contemporânea. Assim, continuam tendo impacto nos dias de hoje, mudando a forma de pensar sobre o assunto. E muitas se tornaram, sem dúvida, ícones do fotojornalismo, pois conseguiram captar os momentos históricos com força e intensidade e se inscreveram num processo mais amplo da memória visual coletiva.

Para os mais jovens,  as imagens oferecem a possibilidade de uma melhor compreensão de momentos da história. Para quem viveu estes momentos, poderão provocar recordações e inspirar a reflexão, para a construção diária de uma sociedade mais justa, pacífica e democrática.

João Kulcsár
Curador

 

Impressões Visuais,
A relação entre o Brasil e os EUA é antiga e marcada por momentos de maior e menor proximidade. Os pontos em comum dos dois países são inúmeros, dentre os quais se destaca a formação étnica diversificada de ambos os povos. Nos últimos anos, vários momentos vividos em conjunto e separadamente reforçam esta proximidade entre as duas sociedades.

”Assim, por ocasião da celebração dos 50 anos do Programa Fulbright no Brasil, esta exposição busca evidenciar as convergências e as divergências destas duas complexas sociedades, em diversas dimensões.”  Diz João Kulcsár, curador da mostra.

O que está sendo celebrado e como?
No fim da II Guerra Mundial, estava clara a necessidade de dotar as sociedades de instrumentos que buscassem promover a compreensão entre os povos de modo evitar que catástrofes como a que terminava viessem a se repetir no futuro.

Foi com esta idéia que foi criado o programa de intercâmbio educacional e cultural do governo dos EUA, amplamente conhecido como Programa Fulbright, tendo sido estabelecido em 1946 por lei de autoria do Senador J.W. Fulbright. Seu objetivo quando da criação e que permanece vivo até hoje é ampliar o entendimento mútuo entre o povo dos EUA e de outros países. O programa já concedeu mais de 225 mil bolas de estudos, pesquisa e docência a cidadãos norte-americanos e de outros 150 países participantes.

No Brasil, o programa é administrado desde 1957 pela Comissão Fulbright e que hoje celebra seus 50 anos.

A Comissão é uma entidade binacional que atua na área acadêmica em parceria com diversas instituições nacionais promovendo o intercâmbio educacional e cultural. Ao longo deste período, concedeu mais 4500 bolsas a brasileiros e norte-americanos que em muito contribuíram na promoção do entendimento mútuo entre os dois países. Dentre os bolsistas encontram-se pessoas de destaque em vários setores da sociedade brasileira: Fernando Henrique Cardoso (sociólogo e ex-presidente), Moacyr Scliar (escritor), Ana Botafogo (coreógrafa), Sérgio Resende (físico e atual ministro de Estado da Ciência e Tecnologia), Ellen Gracie Northfleet (presidente do Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa (ministro do Supremo Tribunal Federal).

Hoje buscamos ampliar nossa atuação por intermédio do atendimento a segmentos da sociedade brasileira e norte-americana ainda pouco representados no programa. Deste modo estaremos trazendo uma maior diversidade para o universo de bolsistas que passará a espelhar este aspecto tão presente em ambos os países.

Como parte das comemorações dos 50 anos da Comissão Fulbright, concebemos a exposição que celebra esta longa trajetória de cooperação e amizade entre os dois países, na qual a Comissão teve e tem tido um importante papel.

A exposição e seus objetivos
“O objetivo da exposição é fazer uma comparação de imagens da fotografia brasileira e norte-americana, publicadas em jornais e revistas de circulação nacional dos dois países. Por meio desta mostra, os espectadores poderão resgatar a momentos dos dois países nos últimos 50 anos, como por exemplo, às quedas dos presidentes Nixon e Collor; o Movimento das Diretas no Brasil; o Movimento dos Direitos Civis nos EUA; a conquista do Tri Campeonato de Futebol, Martin Luther King, o assassinato de John Kennedy; o golpe militar de 1964; etc. “ comenta João.

Estruturação temática da exposição
As imagens serão organizadas em seis eixos temáticos, cada um acompanhado por texto específico elaborado por renomados especialistas de cada área.

1. Herança
Imagens da herança compartilhada pelos dois paises desde a sua descoberta, como a africana, européia e indígena.

2. Política
Imagens dos presidentes e seus momentos de importantes.

3. Esportes
Instantes do esporte e seus destaques: Pelé, Michael Jordan, Mohamed Ali, Ayrton Senna, e outros.

4. Cidadania 
Conquistas pela população pelos direitos do cidadão. Exemplos: Movimento das diretas no Brasil e movimento do “civil rights”, nos USA.

5. Cultura
Imagens de figuras de destaque no mundo cultural como: Marilyn Monroe,  Frank Sinatra, e Tom Jobim, bem como manifestações culturais como o Carnaval no Rio e em Nova Orleans.

6. Meio ambiente
Reflexão sobre o que temos feito com a natureza e as futuras perspectivas.

Veículos e instituições que participam da mostra:
Foram mais de 1 ano e oito meses de pesquisa nos arquivos brasileiros e dos EUA nos seguintes veículos:  O Estado de São Paulo, O Globo, Jornal do Brasil, Folha de S. Paulo, Última Hora ( Arquivo do Estado),  Museu do Imigrante, Instituto Moreira Sales no Brasil, e The Washington Post, New York Times, Magnum Photos, Arquivo Nacional Americano, NASA, Reuters, e Associated Press no EUA. 

Biografia de alguns fotógrafos da exposição
Edward S. Curtis (1868 - 1952): Se tornou um dos americanos mais renomados na arte fotográfica e etnologia. Seu trabalho conduziu a uma investigação sobre o modo de vida indígena em Seattle. Dedicou seu trabalho durante 30 anos à documentação fotográfica de mais de 80 tribos no oeste de Mississipi, da fronteira mexicana ao Alaska.

Evandro Teixeira:
Fotógrafo especial do Jornal do Brasil desde 1963. Extremamente versátil, destaca-se em diversos campos da cobertura jornalística, desde os temas políticos até a fotografia de esporte Conta com dezenas de fotos premiadas e várias exposições no exterior.É autor dos livros Fotojornalismo (1983) e Canudos 100 anos (1997)

Russel Lee (1903 - 1986) : Teve seu primeiro contato com a fotografia em 1935. Seu foco sempre foi à questão social. Juntou-se ao projeto do Farm Security Administration onde fotografou a costa oeste dos Estados Unidos. A parte mais consagrada deste trabalho foi realizada em Iowa em 1936. Foi professor na Universidade do Texas no período de 1965 a 1973.

Lewis Hine (1894 - 1940) : Comprou sua primeira câmera em 1903. Sua afinidade maior era com a fotografia Documental. Em 1905 documentou a miséria dos imigrantes europeus, em 1908 os trabalhadores metalúrgicos de Pittsburg. Hine expôs à opinião pública as péssimas condições de trabalho, campanha que teve como resultado a aprovação da lei de trabalho infantil.

Jean Manzon (1915 - 1990 ): Fotógrafo francês radicado no Brasil. Foi um dos primeiros fotógrafos a revelar as diversas faces dos índios do Xingu, tornando-se o grande fotografo entre as décadas de 40 e 70. Mais tarde, participa da revista O Cruzeiro . A partir de 1952 dirigiu e produziu mais de 900 documentários.

José Medeiros ( 1921 - 1990):  Documentarista e um dos mestres do fotojornalismo do século XX no Brasil. Fotografou durante 15 anos para a revista O Cruzeiro.  Publicou o livro Candomblé e fundou a agência de fotografia Image.  Foi professor da escola de cinema de Santo Antonio de los Baños, em Cuba, no final dos anos 1980.

Marc Riboud (1923 - 1975):   Em 1952 entrou para a agência Magnum. Viajou pelo mundo todo, principalmente pelo Oriente. Em 1957 foi um dos primeiros fotógrafos europeus a entrar na China      (Visions of China; 1981).  

Juca Martins: Fotografa profissionalmente desde 1970 produzindo reportagens para jornais, revistas nacionais e internacionais. Ganhou o Prêmio Esso de Fotografia (Brasil)  e o Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos (Brasil).

Antonio Gaudério (1958 - ): Trocou os estudos de arquitetura pela fotografia no início da década de 80.  Em 1989 passa a integrar a equipe do jornal Folha de S.Paulo . Entre as diversas distinções que recebeu se destacam o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos de 1993 e o Prêmio Folha de Fotojornalismo de 1996.

Domício Pinheiro (1921 - 1998): Repórter fotográfico, iniciou a carreira como fotógrafo dos jornais Folha Carioca e Última Hora. A partir de 1954 trabalhou no Grupo Estado, onde permaneceu até 1989. Afirmou-se como fotógrafo esportivo e, apaixonado pelo futebol, era conhecido como o fotógrafo de Pelé por ter registrado magistralmente a carreira do jogador. Recebeu o Prêmio Esso em 1965 (Menção Honrosa) e 1975.

Currículo do Curador:
Mestre em Artes pela Universidade de Kent, Inglaterra.
Prof. visitante da  Universidade Harvard.
Professor do curso de bacharelado em fotografia do Senac/SP.
Diretor da ONG Alfabetização Visual –  www.alfavisual.org.br
Curador de exposições fotográficas no Brasil e no exterior como:
Exposições no exterior ou de fotógrafos estrangeiros no Brasil:
Magnum 60 anos; Mirame - Una ventana a la fotografia Brasilena ( Fototeca Cuba - 2007); Fotógrafos Americanos ( Brasil - 2007);  Brasile: La Ricerca della terra (Milão, Italia - 2007); Herança Compartilhada Indígena no Brasil e USA (2007); L´afabetizzazione visiva ( Locarno, Suiça- 2007); Visible Rights ( Universidade de Harvard, USA – 2006); Documentando América, fotografias da FSA, (Brasil – 2007); Lá e Cá  ( Portugal -2006); Lewis Hine (Brasil – 2006); Herança Compartilhada Africana no Brasil e USA (2004); Visual Literacy ( Universidade de Harvard, USA – 2006); Access to Land in Brazil ( Universidade de Harvard, EUA – 2005); Fotogiornalismo Brasiliano (Milão – 2004) Identities: ruptures & permanence (Univ. de Harvard, USA – 2003); Brazilian Photojournalism  (Cambridge, USA - 2003); Alex Levac – “Our Country – Israel” (2001).
Exposições no Brasil:
Àrvores de SP (2006);  Mulheres vêem Mulheres (2006); Imagem da Cidade (2006) Olhares sobre Paranapiacaba(2005); Retrospectiva de fotojornalismo, (2004); Claudia Andujar – Campos Lúdicos Gestos Solenes (2004); SP 450 Imagem em construção (2004); Jovens da Febem, revelam SP (2004); Thomaz Farkas (2001); São Paulo – Cidade cenário (2001); Ensaio Fotográfico no Fotojornalismo (2001); Sebastião Salgado – Êxodos - Making of (2000); São Paulo – Vista por seus personagens (2000); Fotojornalismo – Retrospectiva (2000); Meio Ambiente e Cidadania (2000); Regina Silveira – EX ORBIS – Making of (2000); Cristiano Mascaro – Retrospectiva 30 anos (1999); David Drew Zingg – Despachos de uma terra perdida (1999); Maureen Bisilliat – Katai (1999); Alexandre Wollner – Criatividade e Conseqüência (1999); Fotojornalismo Brasileiro – Bienal de São Paulo (1999).

Realização
Comissão Fulbright no Brasil
Embaixada americana no Brasil
MARCO - Museu de Arte Contemporânea de MS

Apoio
IPHAN
New York Times
The Washington Post
Associated Press
Folha de S. Paulo
Centro Universitário Senac
France Press
AP Photos
Arquivo público do Estado
Última Hora
Editora Abril/ DEDOC
Magnum Photos
O Globo
Memorial do Imigrante
Jornal do Brasil
Instituto Moreira Salles
National Archives
NASA

voltar