InícioFundação de CulturaSistema Brasileiro de Museus E-mail MARCO

Exposições

Atuais

Permanente

Passadas

Intervenção

Processo Seletivo

Plantas das salas

Pe. Frei Ricardo Régis

Para o Artísta Plástico Pe. Frei Ricardo Regis, o conceito da fotografia é o registro real do momento ideal capitado pelo observador. É preciso um olhar atento, antenado, aguçado e autentico. Capitando nessa forma o que quer na íntegra. O seu trabalho fotográfico está dividido em duas vertentes: “a paisagem” como um todo, sem cortes (o próprio ambiente) o que se passa e como se passa: os movimentos, a cena assim como ela é - o momento. E o enquadramento do “perfil”, isto é: registra o semblante da pessoa, revelando dessa maneira a cor, gestos e movimentos: traços e marcas, uma série de signos que revelam o próprio perfil real do individuo, e como ele é - o eu da pessoa.

E para esse trabalho titulado “laços de fé”, utiliza-se dessa primeira vertente: “a paisagem”, isto é: a cena, o movimento, o momento ideal da fé, da postura e comportamento. O ambiente em si, os signos, os objetos que fazem parte da cena.

Laços de fé expressa o sofrimento, a alegria, o cansaço, a fé, o trabalho, a esperança de um povo que anda quilômetros para pagar promessa e pedir graças para dias vindouros - saúde, paz, alegria... chuva e uma boa colheita.

Toda a cena se passa ao redor da estátua do padre Cícero, na cidade de Juazeiro do Norte - Ceará, uma cidade no interior do Nordeste do Estado do Ceará.

O artista em seu foco capita com nitidez cenas cotidianas de pessoas, “romeiros advindo de todas as regiões, especialmente do nordeste brasileiro” que num determinado período do ano larga tudo o que tem para pegar a estrada, seja de ônibus, pau-de-arara, carroça, bicicleta e até mesmo a pé, em busca de esperança e fé. Ao chegarem aos pés da imagem fazem enorme laços de fé, feitos com fitas coloridas - é que mostram as fotografias simbolizando assim, um pacto entre a terra e o céu, por meio da imagem. Acendem velas, rezam, choram, cantam e riem.

Laços de fé, mostra a cultura, a arte de se aventurar em busca do sagrado - o desejado - da cura do corpo e da alma. Trazem seus pedidos e rogam, escrevem nas imagens, nos muros, nas escadarias seus nomes. Fazendo lembrar o muro das lamentações. Fazem uma festa, fazendo a arte acontecer.

É desta maneira que Ricardo observa “a excessiva realidade do povo brasileiro, que se manifesta através do imaginário popular”. Contudo, “é preciso perceber a importância de rituais, principalmente, os religiosos”.

Portanto, as imagens capitadas pelo artista revelam um mundo de significados importantíssimos para as pessoas que vão ali depositar seus pedidos: seja através de rezas, velas, fitas, imagens, ex-votos de madeira, roupas, cabelos, fotos, enfim um mundo de signos e significados, que só podem ser explicados por quem realmente vive esse momento.

_______________________________

Pe. FREI RICARDO REGIS FERREIRA SALES
Juazeiro do Norte - CE

Principais exposições individuais
2003 – Seminário Seráfico N. Sra. Do Brasil - (Messejana – Fortaleza – CE)
2004 – (A Abstração sem Fronteiras) - Agência dos Correios Central - (Fortaleza – CE)
2005 – (Um Olhar Enigmático) - Casa da Cultura - (Guaramiranga – CE)
2005 – (Um Olhar Enigmático) - Casa da Cultura - (Sobral – CE)
2005 – (Um Olhar Enigmático) - Galeria “Mario Barata – ESTORIL Praia de Iracema - (Fortaleza – CE)
2006 – (Um Olhar Enigmático) - Galeria de Arte do SESC - (Fortaleza – CE)
2006 – (Um Olhar Enigmático) - Museu Frei Germano Citeroni - (Salvador – BA)
2006 – (Cântico das Criaturas) - Galeria de Arte do SESC - (Fortaleza – CE)
2006 – (Um Olhar Enigmático) - Galeria de Arte Primeiro de Maio Futebol Clube - (Santo André – SP)
2007 – (Sentimentos Abstratos) - Galeria de Arte e cultura do SESC - (Juazeiro do Norte – CE)

Principais participações em salões de arte
2004 – (XIV UNIVERSIDART) - FIC – Faculdade Integrada do Ceará - (Fortaleza – CE)
2006 – (XVI UNIVERSIDART) - FIC – Faculdade Integrada do Ceará - (Fortaleza – CE)
2006 – (II MACC) - Mostra de Arte e Cultura dos Capuchinhos - (Fortaleza – CE)
2006 – (XIII SALÃO DE ARTES PLÁSTICAS DE TERESINA) - Casa da Cultura de Teresina - (Teresina – PI)
2006 – (VI SALÃO DE ARTES VISUAIS DE GUARULHOS) - Centro Permanente de Exposições de Arte Prof. José Ismael - (Guarulhos – SP)
2006 – (IV MOSTRA DE ARTES PLÁSTICAS DA CÂMARA MUNICIPAL DE PONTA GROSSA) – (Ponta Grossa – PR)
2006 – (UCRS) - Mostra de Arte da Universidade Rainha do Sertão - (Quixadá – CE)
2007 – (XIII SALÃO MUNICIPAL DE FOTOGRAFIA DE TERESINA) – Casa da cultura – (Teresina – PI) – selecionado em 2007.

Prêmios
2006 – “EM CONSTRUÇÃO” - (fotografia) – escolhido em primeiro lugar pelo júri popular, o melhor trabalho do VI Salão de Artes Visuais de Guarulhos - SP

 

 

voltar